Escolha uma Página

O que é?

A coluna cervical é uma estrutura bastante flexível, permitindo uma boa mobilidade da cabeça. Cada vez que realizamos movimentos como inclinar a cabeça ou girá-la para os lados, as articulações da região cervical trabalham para permitir um movimento amplo.

Dor na região cervical ou cervicalgia é causa comum de dor na população geral com prevalência de 10% a 15%, acometendo em torno de 67% a 70% de indivíduos adultos em algum momento de sua vida. A incidência anual em adultos é de 14,6%, sendo que as mulheres têm uma maior probabilidade do que os homens de desenvolver dores cervicais e de sofrer com problemas cervicais persistentes. São muitas as possíveis causas dessa condição. Em grande parte dos casos, trata-se de uma condição autolimitada, ou seja, a dor desaparece com o tempo, espontaneamente. Em alguns casos, se prolonga durante meses ou até anos, tornando-se dor crônica. Muitas vezes, a dor pode ser acompanhada de rigidez no pescoço e também irradiar para braços ou para os ombros. 

Os fatores de risco incluem o trabalho repetitivo, longos períodos de flexão cervical, estresse aumentado no trabalho, fumo, e traumatismos prévios do pescoço e ombros. O uso de computadores e a sobrecarga de trabalho estão associados ao aumento de sintomas cervicais. Nos Estados Unidos, cerca de 92,2 milhões de pessoas utilizam o computador, e dessas, cerca de 63,9 milhões usam o computador para trabalhar. Ultimamente, o uso do celular tem sido um fator importante: a postura inadequada da pessoa ao utilizar o seu smartphone pode gerar dor cervical.

Exemplos de diferentes condições que podem causar dor na região cervical são contraturas musculares, lesões na região como por exemplo a lesão em chicote, e doenças degenerativas da coluna, como a hérnia de disco. 

A maior parte das dores agudas na região cervical se originam de contraturas musculares. Estas dores costumam ser menos profundas, menos intensas e geralmente melhoram espontaneamente. É muito comum a pessoa acordar de manhã com um torcicolo, devido a uma posição inadequada durante a noite, e melhorar ao longo do dia.

Ao longo dos anos, a nossa coluna sofre degeneração de suas estruturas. Uma causa muito comum de dor na região cervical é a artrose, ou osteoartrite, ou ainda espondilose cervical. Trata-se de uma enfermidade inflamatória, causada por um desgaste crônico das articulações desta região, acompanhada por alterações ósseas. 

A hérnia de disco também é comum nesta região. Temos sete vértebras na região cervical da coluna vertebral. Entre elas, situam-se os discos intervertebrais, que têm como função promover uma maior estabilização e também funcionam como um amortecedor. Ao longo dos anos, o disco  desidrata e se desgasta e pode ficar mais fino, ou se deslocar, gerando dor.

Devido ao limitado conhecimento sobre a fisiopatologia da maioria das cervicalgias, o tratamento etiológico, em geral, não é possível. Assim sendo, as intervenções terapêuticas e de reabilitação são preponderantemente voltadas a redução dos sintomas e a melhora da função.

Tratamento

Primeiro, é fundamental a realização de um diagnóstico apropriado com um médico capacitado para tratar dor. A avaliação médica, realizada de forma detalhada, é importante para que se busque identificar as causas da dor. Com isso, o médico de dor pode traçar um plano de tratamento que empregue os recursos mais adequados. São muito raros os casos que necessitam de cirurgia. O tratamento mais frequentemente inclui o uso de medicações, agulhamento seco, mesoterapia, terapia por ondas de choque, fisioterapia e procedimentos intervencionistas, como a Radiofrequência. Em casos de dor crônica, a Psicologia poderá ser uma ferramenta complementar útil.

REFERÊNCIAS:

– Medicina de Reabilitação, Sergio Lianza, 4ª edição, 2007.

– Dor, Síndrome Dolorosa Miofascial e Dor Musculoesquelética, Manoel Jacobsen Teixeira, Lin Tchia Yeng, Helena Hideko Seguchi Kaziyama, 2008.

– Del no PD, Rampim DB, Al eri FM, Tomikawa LCO, Fadel G, Stump PRNAG, et al. Cervicalgia: reabilitação Acta Fisiatr. 2012;19(2):73-81.

Share This